RSS

5ª Reflexão Paulina – São Paulo e Vida em Comunidade

04 maio

Um cristão não é uma ilha em si mesmo. Pelo contrário, o mistério da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus acabou com as divisões existentes entre os homens, como nos ensina São Paulo: “Todos vós, com efeito, que fostes batizados em Cristo, vos vestistes de Cristo. Não há judeu nem grego, não há escravo nem livre, não há homem nem mulher, pois todos vós sois um só em Cristo Jesus” (Gl. 27-28). Nos Atos dos Apóstolos é relatado que os primeiros cristãos “mostravam-se assíduos ao ensinamento dos apóstolos, à comunhão fraterna, à fração do pão e às orações” (At. 2, 42).

Embora alguns sejam chamados para um tipo de vida comunitária mais radical, como os monges e frades, todos os cristãos, por sermos filhos de Deus, somos chamados a viver como irmãos. A convivência fraterna não necessita de momentos especiais para acontecer, mas ela deve ser o nosso próprio dia-a-dia, dentro de nossas famílias, ambientes de trabalho, estudo e etc.

São Paulo nos ensina que todos nós somos membros do Corpo de Cristo, mas cada um recebe uma função diferente: “A um é dada pelo Espírito uma palavra de sabedoria; a outro, uma palavra de ciência, por esse mesmo Espírito; a outro, a fé, pelo mesmo Espírito; a outro, a graça de curar as doenças, no mesmo Espírito; a outro, o dom de milagres; a outro, a profecia; a outro, o discernimento dos espíritos; a outro, a variedade de línguas; a outro, por fim, a interpretação das línguas. Mas um e o mesmo Espírito distribui todos estes dons, repartindo a cada um como lhe apraz” (1Cor. 12, 8-11).

Mas o dom que uma pessoa recebe não deve servir para ele se orgulhar de si mesma e passar a se julgar melhor que os outros, pois “cada um recebe o dom de manifestar o Espírito para a utilidade de todos” (1Cor. 12, 7). O cristão deve, então, colocar a serviço dos outros aquilo que recebeu de Deus. Por outro lado, São Paulo também ensina que “o corpo não consiste em um só membro, mas em muitos. Se o pé dissesse: Eu não sou a mão; por isso, não sou do corpo, acaso deixaria ele de ser do corpo? E se a orelha dissesse: Eu não sou o olho; por isso, não sou do corpo, deixaria ela de ser do corpo? Se o corpo todo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se fosse todo ouvido, onde estaria o olfato?” (1Cor. 12, 14-17).

Infelizmente muitas vezes falhamos em viver como filhos de Deus e irmãos em Cristo. Levados pelo orgulho, somos tentados a fazer a nossa vontade, mesmo que cause problemas a outros. Outras vezes não temos a humildade de reconhecermos nossos erros quando alguém tenta nos corrigir. Em outras ocasiões simplesmente não temos a paciência de corrigir nossos irmãos de maneira fraterna e somos grosseiros.

Nada disso era novidade para São Paulo. O Apóstolo viajava muito e fundou várias comunidades, com as quais sempre mantinha contato. Ainda assim, muitas foram às vezes em que ele ficou sabendo que uma comunidade que havia fundado, e pela qual nutria um amor de pai, estava cheia de brigas e divisões.

Numa dessas ocasiões escreveu à comunidade de Corinto: “Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que todos estejais em pleno acordo e que não haja entre vós divisões. Vivei em boa harmonia, no mesmo espírito e no mesmo sentimento. Pois acerca de vós, irmãos meus, fui informado pelos que são da casa de Cloé, que há contendas entre vós. Refiro-me ao fato de que entre vós se usa esta linguagem: Eu sou discípulo de Paulo; eu, de Apolo; eu, de Cefas; eu, de Cristo. Então estaria Cristo dividido?” (1Cor. 10-13).

Devemos, portanto, lembrarmo-nos sempre que, independente da pastoral, grupo, comunidade, movimento ou equipe que fazemos parte, somos, acima de tudo, cristãos e devemos viver como irmãos. A Igreja deve ser um sinal de caridade, como nos ensina o papa Bento XVI, ao comentar as cartas de São Paulo: “Como família e casa de Deus, devemos realizar no mundo a caridade de Deus e ser, assim, com a força que vem da fé, lugar e sinal de sua presença. Oremos ao Senhor para que nos conceda ser cada vez mais sua Igreja, seu Corpo, o lugar da presença de sua caridade neste nosso mundo e em nosso história”.

São Paulo também ensina que aqueles que são subordinados a alguém, devem trabalhar como se estivessem trabalhando para Deus e os que chefiam, devem comandar de maneira justa e eqüitativa (cf. Cl. 3, 22-4,1).

Mas ele sabia que, como os homens não são perfeitos, é impossível que não apareça qualquer tipo de discórdia dentro de uma comunidade. Frente a isso, ele disse: “Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhada misericórdia, de bondade, humildade, doçura, paciência. Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente, toda vez que tiverdes queixa contra outrem. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós” (Cl. 3, 13-14).

Assim, devemos suportar os erros uns dos outros e nos lembrar que assim como Deus perdoa os nossos pecados, nós devemos perdoar os erros dos outros, como rezamos no Pai-Nosso.

Reflexão

Como está meu comportamento dentro de minha família? E dentro de meu ambiente de trabalho, pastoral ou qualquer grupo de que participo? Coloco-me a serviço dos outros ou espero que os outros me sirvam? Tenho paciência com as falhas dos outros ou costumo revidar as agressões que sofro? Costumo perdoar os outros quando sou ofendido?

Gesto Concreto

Coloque os dons que recebeu de Deus a serviço dos irmãos no seu dia-a-dia. Aprenda, na oração, a ter paciência com os erros dos outros. Reflita se está precisando perdoar alguém que o magoou. Se estiver peça a Deus que o ajude a perdoar essa pessoa.

Oração

Ó glorioso São Paulo, concedei-nos que, por sua intercessão, possamos viver como irmãos e irmãs, colocando-nos ao serviço do próximo. Ajudai-nos a suportar as imperfeições dos outros e ter a generosidade de perdoar quando somos ofendidos. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

Anúncios
 
3 Comentários

Publicado por em 4 de maio de 2009 em Espiritualidade, São Paulo

 

3 Respostas para “5ª Reflexão Paulina – São Paulo e Vida em Comunidade

  1. Gleidison

    23 de abril de 2010 at 23:46

    Obrigado por esse texto!! Era o enbasamento que procurava para minha turma de perseverança!! Obrigado!

     
  2. alice queiroz

    11 de agosto de 2012 at 15:57

    Marcelo tudo que precisava para um trabalho comunitário da igreja encontrei aqui. Parabéns e muito obrigada.

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: