RSS

Apresentação

23 mar

Criei este blog com dois objetivos principais: O primeiro é mostrar o viés anticlerical com que a maior parte da imprensa transmite as notícias relacionadas à Igreja Católica, por má-fé ou desconhecimento. Claro que qualquer coletagem feita neste blog será apenas parcial e pequena, por simples falta de tempo. Caso algum leitor souber de um caso interessante de desinformação midiática sobre a Igreja que não foi publicada neste blog, peço a gentileza de entrar em contato comigo.

O segundo é publicar algumas reflexões de cunho espirituais que desenvolvi para trabalhos paroquiais, além de eventuais reflexões que desenvolverei para postar aqui.

Além disso, também postarei indicações bibliográficas de livros que achei interessante e que acho que podem ser muito úteis aos católicos de hoje.

O nome do blog não indica pretensão de grandeza, mas apenas minha intenção de me colocar a serviço de Cristo e de sua Igreja. Qualquer besteira publicada neste blog deve ser creditada diretamente na minha conta e não na de Nosso Senhor.

Também já deixo bem claro: Não sou santo e estou longe de ser eu. Pego emprestado as palavras que, se não me engano, disse São Paulo: Cristo morreu pelos pecadores, dos quais eu sou o primeiro.

Por fim, o nome do blog é inspirado no lema episcopal do Santo Padre Bento XVI: Cooperadores da Verdade. Sua Santidade explica que seu lema significa: “…seguir a verdade e estar a seu serviço. E já que no mundo de hoje o tema “verdade” quase sumiu totalmente, já que aparece como algo grande demais para o ser humano, mas por outro lado tudo decai quando não há verdade, por isso esse lema me pareceu também “moderno” no bom sentido“. (Lembranças da Minha Vida, pág. 137)

Anúncios
 
16 Comentários

Publicado por em 23 de março de 2009 em Bento XVI

 

16 Respostas para “Apresentação

  1. Igor

    24 de março de 2009 at 2:13

    Marcelo,

    Vai com tudo. Estou acompanhando.

    Abraço,

    Igor

     
  2. Marcelo Moura Coelho

    24 de março de 2009 at 13:45

    Obrigado, Igor.

    Abraço

     
  3. William Murat

    24 de março de 2009 at 18:02

    Parabéns pela iniciativa, Marcelo!

    Desejo sucesso e que este trabalho renda frutos para a Santa Igreja!

    []´s

     
    • Marcelo Moura Coelho

      24 de março de 2009 at 18:17

      Obrigado, William!

       
  4. Rafael

    25 de março de 2009 at 0:19

    Parabéns, Marcelo !!! Uma grande e bela iniciativa, ainda mais vinda de um apóstolo tão bem capacitado quanto você. A Igreja agradece.

    Vou ajudar a divulgar, pois tenho certeza que está ferramenta será de grande valia para todos os católicos.

    Abraços.

    Seu amigo em Cristo,
    Rafael

     
  5. Jether

    25 de março de 2009 at 12:53

    “Criei este blog com dois objetivos principais: O primeiro é mostrar o viés anticlerical com que a maior parte da imprensa transmite as notícias relacionadas à Igreja Católica, por má-fé ou desconhecimento. Claro que qualquer coletagem feita neste blog será apenas parcial e pequena, por simples falta de tempo. Caso algum leitor souber de um caso interessante de desinformação midiática sobre a Igreja que não foi publicada neste blog, peço a gentileza de entrar em contato comigo.”
    Marcelo, eu estava dando uma olhada no Decreto Contra Comunismo, e fiquei pensando: “Católico pode fazer ou colaborar com site de media watch quando essa mídia que será fiscalizada defende abertamente ou colabora com comunistas?” No Decreto, se não me engano, está dito que católico não pode ler periódico que defende comunismo. Talvez você tenha de repensar esse primeiro objetivo, e ficar só com o segundo, talvez.

     
    • Marcelo Moura Coelho

      25 de março de 2009 at 13:42

      A proibição é no que concerne à colaboração com comunista e não simplesmente leitura de livros ou jornais, ainda mais quando o objetivo é combatê-los.

       
  6. Jether

    25 de março de 2009 at 19:54

    Não sei latim, mas essa tradução diz que é proibido ler, além de colaborar. O texto em latim não está no Decreto? A tradução está errada?
    “Q. 2 Utrum licitum sit edere, propagare vel legere libros, periodica, diaria vel folia, qual doctrine vel actioni communistarum patrocinantur, vel in eis scribere.
    [Acaso é lícito publicar, propagar ou ler livros, diários ou folhas que defendam a ação ou a doutrina dos comunistas, ou escrever nelas?]

    R. Negative: Prohibentur enim ipso iure”
    fonte: http://www.montfort.org.br/index.php?secao=documentos&subsecao=decretos&artigo=anticomunismo&lang=bra

     
    • Marcelo Moura Coelho

      25 de março de 2009 at 22:45

      Jether,

      Muita calma na interpretação. O decreto não existe num vazio, mas tem um objetivo. Leia com atenção: O decreto proíbe, entre outras coisas, a leitura de material que sustente a doutrina e a ação dos comunistas. Não é o caso da imprensa brasileira, que na sua maior parte não defende o comunismo, mas busca minar as resistências a ele. Mostrar as inverdades que a imprensa publica sobre a Igreja é lutar contra essa manipulação da verdade.
      Por outro lado, o objetivo dessa proibição é evitar que católicos mais ou menos desavisados leiam livros comunistas e acabem caindo nas lorotas. Mas de maneira alguma o decreto proíbe que alguém leia livros comunistas para desmascará-los. Diga-se de passagem que esse não é o objetivo do blog.

       
      • Jether

        27 de março de 2009 at 13:26

        “O decreto proíbe, entre outras coisas, a leitura de material que sustente a doutrina e a ação dos comunistas. Não é o caso da imprensa brasileira, que na sua maior parte não defende o comunismo, mas busca minar as resistências a ele.” Na sua menor parte, “defende”? Na maior parte, não “sustenta a ação” justamente “buscando minar as resistências ao comunismo”? E se foi uma diretiva comunista (seguida consciente ou inconscientemente por algum jornalista, por exemplo) não defender o comunismo abertamente mas atacar o que foi percebido no povo como algo que alimenta a resistência ao comunismo? Uma pessoa que aja assim não está “sustentando a ação de comunista”?

        “Os pretensos “direitos dos gays” são parte de um vasto front cultural aberto por intelectuais ativistas numa nova estratégia de combate inspirada na Escola de Frankfurt, no filósofo marxista húngaro Gyorgy Lukacs e em Antonio Gramsci. O fundamento da estratégia é a máxima de Lukacs de que a destruição da democracia capitalista requer, antes, a demolição das bases morais e intelectuais da civilização ocidental. A principal dessas bases é a ética judaico-cristã, bombardeada de todos os lados e sob uma impressionante variedade de pretextos, de modo que a opinião pública, cada vez mais alerta para pequenos arranhões no orgulho gay, lésbico, feminista, etc., está completamente dessensibilizada para o fato brutal das perseguições religiosas, hoje mais intensas do que nunca.” IN http://www.olavodecarvalho.org/semana/12292002zh.htm (reprodução permitida pelo autor desde que citada a fonte)

        “de maneira alguma o decreto proíbe que alguém leia livros comunistas para desmascará-los.”
        Isso está no Decreto? Onde encontro essa qualificação, “pode ler, se for para desmascará-lo”? E uma pessoa não pode querer ir desmascarar, mas se atrapalhar toda e cair em alguma lorota, porque não é lá muito boa leitora?

         
  7. Marcelo Moura Coelho

    27 de março de 2009 at 18:15

    Jether,

    Existem dois princípios fundamentais para a interpretação de qualquer documento legal que comine alguma pena, seja canônica ou estatal: Não existe crime sem lei anterior o defina é um. E outro é que qualquer norma que defina uma pena deve ser interpretado restritivamente.
    O decreto fala de livros que defendam a doutrina comunista. Disso que se depreende que o decreto só se refere a autores como Marx, Gramsci, Luckacs e etc, ou qualquer tipo de material que defenda as idéias deles e de outros autores comunistas. O decreto não proíbe a matéria de jornais e revistas como a maioria dos jornais e revistas brasileiros, que não defendem ou propagam a doutrina comunista, antes, eles distorcem as notícias para corroer os valores culturais que impedem a implantação do comunismo.
    Note também que o decreto falar em defender a doutrina comunista. Depreende-se, portanto, que a Igreja não condena a leitura de autores que critiquem autores comunistas, mas apenas daqueles que os defendem.
    A parte do “pode ler se for para desmascará-los” é interpretação pessoal, porque é necessário conhecer o inimigo para se defender e ajudar outras pessoas a se defenderem. Claro que esse tipo de leitora deve ser extremamente prudente, sempre que possível acompanhada por alguém que tenha conhecimento sobre o assunto e possa passar orientações, e deve ser precedida por gente que entende do assunto. No que se refere ao marxismo econômico, por exemplo, a leitura de Marx deve ser precedida pelos autores da Escola Austríca e Raymond Aron.

     
  8. Jether

    29 de março de 2009 at 14:39

    “O decreto fala de livros que defendam a doutrina comunista.”
    A doutrina OU A AÇÃO comunista.

    “Disso que se depreende que o decreto só se refere a autores como Marx, Gramsci, Luckacs e etc, ou qualquer tipo de material que defenda as idéias deles e de outros autores comunistas.”
    Não é somente defesa de idéias, defesa de ação também. E, claro, não é o autor ser conhecido como comunista que faz a obra comunista, é o seu conteúdo. É possível até que alguém se passe por católico durante anos, para começar a tomar atitudes e fazer declarações comunistas só depois de alcançar uma posição de maior poder, prestígio, credibilidade dentro da comunidade. A declaração comunista pode vir em jargão religioso etc. E um cara pode estar falando mal de Marx, Gramsci etc e ainda estar escrevendo um livro comunista.

    “O decreto não proíbe a matéria de jornais e revistas como a maioria dos jornais e revistas brasileiros”
    Você está falando do noticiário, aparte dos editoriais e artigos de opinião? Jornais e revistas não contém só “matérias”; mas você acha que é impossível defender uma doutrina só por meio do noticiário?

    “a maioria dos jornais e revistas brasileiros””não defende” “ou propaga” a doutrina comunista”
    Nos editoriais e artigos de opinião também? E a minoria?

    “antes, eles distorcem as notícias para corroer os valores culturais que impedem a implantação do comunismo.”
    Por que você não enquadra isso em “defesa de ação de comunista”?

    “A parte do “pode ler se for para desmascará-los” é interpretação pessoal, porque é necessário conhecer o inimigo para se defender e ajudar outras pessoas a se defenderem.”
    1. Não é preciso ler a mídia hostil pra tomar conhecimento dos erros mais populares e corrigi-los. Um site, revista, jornal católico pode simplesmente fazer pesquisas na Igreja e na rua, ter seção de cartas e similares, pesquisar na vasta (suponho) história de malentendidos da Igreja etc e publicá-los. Fora que o erro propagado pelos militantes da mídia hostil pode não ser popular, embora talvez até seja passado por ela como se fosse.
    2. Acho que o católico precisa sempre perguntar qual a tese geral do material que está lendo, e, depois desse Decreto, precisa se perguntar “Essa tese é comunista (anti-cristã)?” (pra isso ele também precisa conhecer o catolicismo; é preciso que as diferenças do catolicismo do resto sejam sempre lembradas; se estiver tudo embaçado, ele não vai perceber o que é cristão e o que é anti-cristão). Se é, ele pára de ler na hora (e não compra, assina, claro.) E talvez nem isso seja necessário, no caso de livros já muito famosos, como “O Capital”.

     
  9. Jether

    29 de março de 2009 at 14:50

    Correção: malentendidos SOBRE a Igreja.

     
  10. Jether

    31 de março de 2009 at 23:19

    E aí, Marcelo, não vai responder?

    ***

    Deixei algo sem resposta. Segue a resposta:

    “Depreende-se, portanto, que a Igreja não condena a leitura de autores que critiquem autores comunistas, mas apenas daqueles que os defendem.”
    Eu não estava falando sobre esses textos. Eu não estava falando que católicos não podem ler críticas a comunistas. Eu estava falando que católicos não podem fazer media watch de mídia comunista, se não podem ler textos comunistas, como o decretado por um papa.

    Quanto a críticas de comunistas, pra que diabos lê-las se vc é cristão e se ser cristão é ser anti-comunista? Se vc é cristão de verdade, você sente o cheiro de enxofre na hora. Seria chover no molhado para um cristão.

    P.S.: não acho anti-intelectual essa postura. Sendo o cristianismo verdadeiro, um texto anti-cristão é necessariamente falso, e sendo falso pode e deve ser, uma vez verdadeiramente reconhecido como tal, ser rejeitado imediatamente. Você só deve dar chance pra todos os lados quando você não sabe quem está certo. Se vc é cristão, você já resolveu a questão. Não tem mais discussão (isso não é defesa de censura, claro).

     
    • Marcelo Moura Coelho

      1 de abril de 2009 at 11:48

      Já respondi o melhor que podia.
      Este blog não tem por objetivo analisar o comunismo, mas distorções que a mídia publica.
      A falsidade das posições anticristãs pode parecer clara para alguns, mas nem tanto para outros. É para estes que o blog se dirige.
      Qualquer dúvida sugiro entrar no site da Sociedade Brasileira de Canonistas (está na seção de links) e envie sua dúvida.

       

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: